Sábado, 10 de Janeiro de 2015

SANTO ANTÃO

Celebra-se  no próximo dia 17 a Festa Litúrgica de Santo Antão,

santoantao.jpg

também conhecido como Santo Antão do Deserto, do Egito, o Eremita, o Grande, o Anacoreta ou o Pai de Todos os Monges, foi o primeiro iniciador de uma vida religiosa.

Em virtude de no Latino o seu nome ser Antonius, tem por isso suscitado confusões, pela homonímia, com  Santo António.

Santo Antão, cuja imagem é venerada em Évora na Igreja de Santo Antão ou Igreja Paroquial de Santo Antão, de que é Patrono, sita na Praça de Giraldo, nasceu em Tebaida no ano 251 d.C. e faleceu a 17 de Janeiro de 356 d.C. com a idade de 105 anos.

st.antao.jpg

Por julgarmos de interesse e oportuno transcrevemos o texto referente ao tema 133  (A barba de Santo Antão), do Livro Prioridades 3 editado em 2014, da autoria do Cónego Manuel Maria Madureira da Silva, Reitor e Pároco da Igreja de Santo Antão.

"Santo Antão não nasceu com barba. Só faltava! Também não nasceu santo, assim, com auréola e tudo. Nasceu sem auréola e sem barba. Só depois é que veio a barba e também a santidade. É muito cómodo dizer quer os santos já trazem a etiqueta de santos e que os outros - os outros que somos nós - não nascemos para santos nem temos por que nos incomodar.. É muito comum dizermos que não temos etiqueta de santos. O que nos falta não é etiqueta, é barba. Barba para acometer as tentações e vencê-las, como Santo Antão. Antão nasceu rodeado de grandes dificuldades para ser santo e de grandes facilidades para ser um patife. Os pais dele eram os mais ricos da localidade: grandes extensões de terrenos férteis, abundância de trigo, aveia e cevada. À época, as suas vinhas produziam excelente vinho. Nos seus campos pastavam inúmeras cabeças de gado. A sua casa solarenga estava edificada na colina sobranceira, rodeada de figueiras e palmeiras. Estas circunstâncias eram mais que propícias para que lhe não nascesse a barba. Aos 20 anos, perdeu os pais e ficou senhor absoluto de toda aquela riqueza. Um dia, pegou no Evangelho, abriu-o e leu o seguinte: "Se quiseres ser perfeito, vai, vende o que tens e dá-o aos pobres; depois vem e segue-Me e terás um tesouro nos céus".

Antão fechou o livro e pôs-se a pensar. Passou a mão pela face que ainda estava lisa, muito lisa. Antão sabia que aquela frase do Evangelho tinha sido dita por Cristo. Que novidade! Também nós sabemos ! Antão disse, de si para consigo, que estas coisas ditas por Cristo têm de se observar à letra. Nós, pouco depois de lermos essa frase, distraímo-nos. Apodera-se de nós um interesse repentino de sabermos o que diz o texto na página seguinte e, assim, esquecemo-nos do que dizia a anterior. É um recurso muito manhoso que usamos nós, cristãos velhos e espertos. Antão não era assim. Era um cristão novato. Estancou naquela frase, fechou o livro, foi para casa e começou a vender. Vendeu o trigo, a aveia e a cevada. Vendeu as terras. Vendeu as ovelhas, as cabras e o último  camelo. Depois começou a repartir o dinheiro com aqueles que não o tinham. No seu tempo, havia muitos pobres,  necessitados. E hoje também. Já só lhe faltava cumprir o mais custoso: Vem e segue-Me. Naquela noite, foi para o deserto. Aí, tornou a pensar e a passar a mão pela cara. Picava. Já tinha barba. Pois está claro que tinha! Era mesmo preciso ter barba para fazer o que fez. O demónio é que não estava disposto a deixar crescer a barba do Antão, porque podia pegar a moda e começarem a aparecer homens de barba inteira ...

E começou a barafunda. O demónio tentou Antão, exatíssimamente com as mesmas coisas e pessoas com que nos tenta a nós. Insinuava-lhe - como nos insinua a nós - que continuasse agarrado aos bens, ao dinheiro, que se deixasse de tolices, que não fosse parvo! Antão voltava-se e respondia que queria ter e viver o espírito de pobreza!  E, de cada vez, a barba crescia-lhe duas polegadas. Depois foi a vez das tentações da carne: o mesmo , o mesmíssimo que a nós, mas muito mais. Antão via e sentia tudo: preguiça, gula, luxúria, porque tinha, como nós, um corpo de carne e osso, não de plasticina como alguns poderão pensar. A todas estas tentações reagia categoricamente com vontade rija. Chamava-se isso ter barba: vários palmos da barba mais legítima. Faltava ainda a pior tentação: o mundo, a vaidade, a soberba, ser importante. Quando nos dizem que fazemos isto muito bem, que naquilo somos formidáveis, inchamos como câmaras de ar e acabamos na supina estupidez de nos julgarmos alguém. É nisso que todos mergulhamos de cabeça. Todos, menos Antão, porque Antão tinha barba para tudo isto. Aos que bajulavam, ouvia-os amavelmente; mas, no fim, atirava-lhes à cara três palavras pesadas: Rua! fora daqui"! Dava meia volta e metia-se outra vez na cova. Mais uma légua de barba!

 

ARMANDO RIBEIRO

publicado por armandoribeiro às 22:35
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. AGRADECIMENTO

. VISITA SUA SANTIDADE PAPA...

. NOSSA SENHORA DA PAZ

. PADRE FERNANDO VALENTE

. ÀS NOSSAS MÃES

. DIA INTERNACIONAL DO ENFE...

. ANJOS PEREGRINOS

. DIA LOCAL DO ANTIGO ALUNO...

. DIA DA MÃE

. COLECCIONISMO

.arquivos

. Julho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.contador

free counters

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds